BLOG SI

02 Julho 2020
Dicas

As Smart Home: o papel da eficiência energética nas casas

As Smart Cities, ou cidades inteligentes, são servidas pelas novas tecnologias e inovação para desenvolver infrastruturas, edificios e sistemas de comunicação que diminuam o consumo energético e as emissões.

Atualmente os edificios consomem um terço do total da energia do espaço urbano, e isto tem levado a Comissão Europeia a implementar diretrizes que indicam que todas as casas de nova construção devem apresentar um consumo energético minímo.

Por isso, tudo indica que as Smart Building formem cidades inteligentes com sistemas de automatização de edíficios e modelos digitais. Um campo de luta por um crescimento sustentável, inteligente e integrador nos quais o setor da arquitetura e edificação têm muito para oferecer.

Os 5 elementos da domótica doméstica de uma Smart Home (casas inteligentes):

Neste contexto, também se destaca um novo conceito dentro de uma casa: a Casa Inteligente. Esta é a incorporação da domótica em casa, através do siscom o objetivo de optimizar a eficiência energética de maneira inteligente. Os sistema domótico é servido através de uma ligação à internet para que possa funcionar sem interrupções.

Obviamente, um arquiteto, deve saber como gerir a energia de cada um dos elementos da domótica introduzidos numa casa, ora vejamos:

  1. Sistemas de iluminação

Além de favorecer o bem-estar e o conforto, garante espaços que se nutrem de luz natural. E isto é possível em função da localização e do controlo automático dos mecanismos do lar, o que também optimiza o consumo de eletricidade. E não apenas nos referimos aos temas da iluminação, mas também favorecem a climatização, já que os toldos, persianas, estores e até cortinas automáticas se encarregam de facilitar a entrada de luz solar apenas quando seja necessário.

  1. Sistemas de climatização

Outro marco já possível graças à domótica é a tecnologia de aproveitamento que evita o uso excessivo de aquecimento ou ar condicionado. De facto, estes sistemas regulam e gerem o ar condicionado da casa de acordo com a temperatura externa, o tempo, a orientação da casa e a situação geográfica, entre outros.

  1. Sistemas de isolamento

As denominadas pontes térmicas impedem a impermeabilidade e a eficiência energética. Mas graças às novas técnicas de isolamento mediante materiais térmicos é possível a eliminação de fugas de temperatura. Além disso, graças aos sensores térmicos também de detetam as áreas onde se perde mais calor uma vez construido o edificio. Assim, colocar as medidas necessárias para optimizar o isolamento é mais fácil.

  1. Controlo de eletrodomésticos

O consumo de eletricidade também pode ser controlado graças à gestão inteligente dos eletrodomésticos.

Assim, é fácil aproveitar os recursos e enviar menos CO2 para a atmosfera. No mercado já é possível encontrar frigorificos e máquinas de lavar inteligentes e até aspiradores que são robots. Todos eles e muitos outros funcionam graças aos sistemas domóticos que estão incluidos no seu mecanismo.

Por exemplo, já existem aparelhos no mercado que são capazes de alterar a temperatura, controlar o aquecimento e a água quente e até de enviar alertas para o telefone quando alguma coisa não está como devia.

  1. Sistemas de segurança

A deteção de fumos, avarias, fugas ou até assaltos em casa pode ser controlada por alarmes, detetores de presença e sensores de movimento. A implementação destes sistemas garante tanto a segurança dos inquilinos como poupança inteligente de recursos e o consumo eficiente à distância.

Como foi mencionado, os é importante saber que os sistemas automatizados fornecem informações completas sobre o funcionamento da casa, e isso oferece maior tranquilidade, conforto e contribui ainda para perservar o meio ambiente pela eficiência energética que oferece. A isto, saiba que irá diminuir a fatura da eletricidade.